Gestão Emanação

Nome: Emanação
Ano: 2009
Membros:
André Botelho Scholz.
Felipe Alonso.
Gabriel Philipson.
Isabela Oku.
Mariana Moretti.

Carta de apresentação da gestão:

São Paulo, 17 de Novembro de 2008
Aos alunos, funcionários e professores do Departamento de Filosofia,
Na última semana, ocorreram as eleições para o Centro Acadêmico João Cruz Costa, e elegemo-nos, com 87% dos votos, para representar os estudantes deste departamento pelo próximo ano. Aqui, agradecemos publicamente a todos os que participaram das eleições votando, debatendo e pensando conosco sobre o movimento estudantil.
Como dissemos na campanha, nos comprometeremos com a democracia deliberativa, o que exigirá organização, comunicação e diálogo com nossos colegas, com professores, funcionários e com a sociedade. O que quer dizer isso? Que atuaremos nas diversas instâncias deliberativas de forma coesa, a fim de permitir o diálogo e de chegar legitimamente a decisões democráticas. Acreditamos nos movimentos organizados, pois a organização por si só já mostra o compromisso e a seriedade de uma gestão. Ao mesmo tempo, esse movimento sério e comprometido exige a comunicação e o diálogo, para não se tornar autoritário, assim como deve reconhecer e respeitar as liberdades individuais, destacadamente o direito ao voto e à liberdade de expressão.
Decidimos chamar nossa gestão de EMANAÇÃO, uma vez que esse nome reflete o nosso projeto de agir e de divulgar o Centro Acadêmico de Filosofia. Por fim, gostaríamos de convidar a todos para participarem e colaborarem com a nossa gestão - afinal, só a participação ativa dos estudantes de Filosofia possibilitará a realização deste projeto ambicioso que é revitalizar o CAF.
Obrigado,
Emanação.

Carta Programa (apresentada durante as eleições):

Prazer, Chapa Tal
Carta de apresentação

Aos alunos do departamento de filosofia da FFLCH,
Apresentamo-nos como chapa concorrente à diretoria do Centro Acadêmico de Filosofia “João Cruz Costa” não só porque acreditamos na sua importância para a vida universitária, como agente de divulgação cultural, política e artística, como porque confiamos na qualidade de nossas propostas para aperfeiçoar seu funcionamento. Sabemos da responsabilidade que é representar os alunos do Departamento e queremos fazê-lo com o devido comprometimento.
Nossa chapa é contrária ao partidarismo nos centros acadêmicos, ou seja, não representamos nenhum partido político. Isso não quer dizer, no entanto, que não nos comprometemos a incentivar as discussões e reflexões políticas, o que seria um absurdo; estimularemos o debate, sempre de forma livre e transparente, mas sem tomar, a priori, uma posição vertical preestabelecida a favor de uma instituição política. Enfim, vamos promover a discussão no sentido de favorecer a reflexão livre. Em outras palavras, nossa chapa é radical quanto à impossibilidade de seus membros fazerem parte ou apoiarem cegamente partidos políticos; por outro lado, incentivamos integralmente que qualquer pessoa, ligada ou não a partidos políticos, participe das discussões, desde que essa participação não inviabilize, por meio da força, do preconceito ou algo do gênero, a participação livre de qualquer outro indivíduo.
Queremos também revitalizar o CAF. É que ele não é bem visto nem mesmo pelos próprios estudantes, que ainda no primeiro ano se desiludem com as reais possibilidades de ação e representação que ele lhes proporciona. Pretendemos mudar essa imagem, criando novos projetos e continuando e aperfeiçoando aqueles da atual gestão que, a nosso ver, foram bem realizados.
Apresentamos aqui nossas propostas, para você conhecer a Chapa Tal. Convidamos todos a participarem dos debates ou de conversas informais no corredor, a fim de que se sintam capazes de participar de maneira adequada do processo eleitoral.

Propostas
1) Da ampliação e facilitação da comunicação entre o CAF e os estudantes e da criação do Jornal do CAF.
Para ampliar a comunicação entre os estudantes e o CAF, pretendemos criar um domínio fixo na internet: é um recurso simples e de baixo custo que facilitaria enormemente a atuação do Centro Acadêmico, em diversas instâncias.
Além disso, temos em vista a criação e a perpetuação de um Jornal do CAF (nome provisório), projeto que infelizmente não se realizou em 2008. Acreditamos que a experiência de alguns dos membros da chapa na elaboração de jornais independentes no passado facilitará e viabilizará a concretização dessa idéia.
Finalizando este tópico, achamos importante trabalhar na divulgação do Centro Acadêmico da Filosofia, a fim de revitalizá-lo e acabar com eventuais preconceitos contra ele. A primeira medida nesse sentido será levar o CAF de forma mais ativa aos calouros de 2009, promovendo mais atividades na semana da calourada e no começo do ano, como se vê no item 3.
2) Da criação do acervo do CAF
O projeto consiste em criar um acervo digital e físico referente para o curso de Filosofia. Pretendemos adquirir principalmente áudios de aulas, mas também textos, xerox, livros, vídeos, artigos etc., e disponibilizá-los integralmente a todos os interessados.
3) Criação da Comissão de Calourada.
Uma das primeiras medidas tomadas pelo CAF será a Criação da Comissão de Calourada, por conta da proximidade temporal com esta. Propomos continuar as atividades realizadas em 2007, além de ampliá-las, ou seja, gostaríamos de realizar um passeio pela USP, de apresentar o CAF, de levar os calouros a bandeijar pela primeira vez, de realizar palestras, de passar vídeos, além de continuar a aula trote e as visitas ao MAM e à Maria Antônia.
4) Ampliação do diálogo com a diretoria do departamento e conscientização sobre o uso dos espaços dos estudantes.
Propomos ampliar o diálogo com a diretoria levando as queixas e sugestões dos estudantes, principalmente as de cunho prático, como a colocação de uma placa pedindo silêncio nas escadarias, uma vez que o barulho vem atrapalhando muito as aulas na sala 111.
Da mesma forma, não deixaremos de nos empenhar ao máximo pelos direitos dos estudantes, principalmente em relação ao seu espaço legitimo. Ao mesmo tempo, agiremos também no sentido da conscientização em relação ao bom uso de tal espaço. Isto é, buscaremos através de discussões, debates e conversas estabelecer as diretrizes para respeitá-lo e bem usufruí-lo.
5) Projeto de Ampliação de Angariação de Fundos.
Para qualquer projeto é necessário verba e, portanto, nossa chapa pretende tomar diversas medidas para ampliar a arrecadação de fundos para o CAF. A medida que pretendemos tomar será a criação de um PAC (Projeto de Ajuda de Custos). Este consiste em passar a aceitar doações de qualquer quantia dos alunos a qualquer momento. Mais do que isso, este versa sobre o estabelecimento de mensalidades para aqueles que queiram ajudar monetariamente na criação dos projetos. É que com pequenas quantidades e muitos mensalistas, podemos manter as contas em dia; ou seja, se, por exemplo, 100 pessoas contribuírem com 5 reais ao mês, o montante final, 500 reais, será suficiente para angariar palestras e cursos durante aquele mês.
6) Sobre palestras e mesas redondas
A idéia aqui é promover palestras, mesas redondas ou afins sobre diversos temas, desde política até dança, passando por teatro, cinema, literatura, economia etc. Pretendemos que ocorram com regularidade semanal ou quinzenal, sempre com palestrantes/participantes ativos no tema em questão. Entre as discussões nas mesas redondas, destaca-se a idéia de pensar um balanço sobre a Filosofia hoje, no mercado de trabalho e no meio acadêmico, sempre investigando seu papel na sociedade contemporânea.
7) Da criação de novos projetos
Propomos discutir a questão da Quarta Cultural, como já está sendo feito. Acreditamos que pode vir a ser um excelente projeto, desde que respeite termos básicos do bom uso do Espaço Verde, como o período das aulas noturnas e a limpeza de um local de uso de todos os estudantes, não só de um grupo. E que incentive a apresentação de grupos musicais e a socialização dos estudantes e ainda promova, vez ou outra, discussões e projeção de filmes.
Mas não nos limitamos a isso; pretendemos criar novos projetos:
a) Terça Musical – dia para apresentação de grupos musicais, inclusive eruditos e populares; pretendemos acabar com a ditadura das bandas de rock e progressive – gostamos delas, mas acreditamos que restringir a expressão musical só elas é nos empobrecer demasiado; queremos promover discussões sobre música, além de jam sessions, etc.
b) Torneio de Xadrez - projeto simples e já estruturado que se destina a atender o desejo de diversos enxadristas amadores que manifestaram vontade de organizar um torneio durante algumas reuniões presididas pela atual gestão, porém que nunca saiu do papel.
c) Grupo de Teatro – este projeto visa possibilitar que os interessados em teatro possam reunir-se com o fim de montar pequenas cenas, sketchs, etc., inclusive visando uma possível apresentação em alguns eventos, como a Quarta (verdadeiramente) Cultural.
d) Grupo Musical – queremos reunir os amantes da música para talvez montarem um grupo de estudos e, se quiserem, se apresentarem na Terça Musical.
e) Grupo de Estudos de Retórica – para potencializar a habilidade retórica entre os estudantes, por meio de estudos e exercícios práticos, algo que muitos alunos manifestaram como deficitário na formação do nosso curso.
f) Cineclube – assistir e discutir filmes periodicamente. Se possível, criar um grupo fixo e empenhado de discussão cinematográfica.
g) Projeto Reciclagem - pretendemos incentivar a reciclagem por meio da disponibilização de latões para reciclagem no espaço verde. Enviaremos o material coletado para o USP Recicla ou direto para as cooperativas de reciclagem, a ser decidido da maneira que mais convier.
h) Gincana de Futebol e outros esportes - a proposta é fazer gincanas esportivas recreativas, independentemente da Atlética ou de campeonatos, como já vem sendo feito extra-oficialmente por alguns alunos. A idéia é dinamizar e facilitar esse processo, além de aumentar o número de interessados.
Importante: Se eleita, nossa chapa estará sempre aberta a novas propostas, mas sua execução sempre dependerá do quorum. A Terça Musical também poderia ser Segunda ou Quinta Musical, assim como a Quarta Cultural - o importante é que participe o maior número de pessoas, porém, sem prejudicar qualquer atividade docente ou discente (aulas, seminários, colóquios etc.).
8) Execução da proposta de seminários sobre pesquisa
Acreditamos ser de interesse geral trazer para os graduandos e a comunidade em geral as pesquisas que vêm sendo realizadas no departamento. Para isso, gostaríamos de convidar alguns pós-graduandos para expor seus trabalhos em palestras e debates.

Adendo - Das diretrizes da Chapa Tal
Expusemos acima os tipos de projetos que faremos, mas tudo que fizermos será de forma deliberativa e de participação aberta a toda a comunidade da Filosofia. Jamais proporíamos fazer projetos tão audaciosos com apenas os membros da chapa – seria insanidade. Entendemos que os membros da chapa serão eleitos para estabelecer e priorizar certas pautas. Esclarecemos, assim, quais serão as diretrizes que regerão a nossa gestão:
a) Revitalização da política no movimento estudantil;
Entendemos que o CAF deve ser uma instituição que leve, dentre outros, a política para a vida universitária. Contudo, entendemos também que nenhuma instituição representativa deve ser responsável pelo doutrinamento dos estudantes e, pelo contrário, deve discutir em pé de igualdade todas as posições e idéias para que os alunos deliberem pelo que acham mais correto. Assim, pretendemos fortalecer as instâncias deliberativas e representativas para tornar o debate político mais efetivo.
b) Ampliação da Comunicação e Divulgação do CAF;
É muito importante levar o centro acadêmico para os alunos e comunicar-se com eles de forma mais ativa e simples, afinal o CAF é uma instituição representativa dos estudantes.
c) Ampliação da angariação de fundos;
Todos os projetos necessitam de fundos para sua realização. Assim, um crescimento no número de atividades do CAF exigirá que tenhamos projetos para ampliar a arrecadação de fundos.
d) Ampliação do diálogo com a chefia/diretoria;
Estabelecer um diálogo democrático e regular com a chefia do departamento é uma das principais atribuições do CAF. Pretendemos continuar com os diálogos existentes sobre o espaço dos estudantes, mas também dialogar sobre eventuais necessidades dos estudantes, ou reclamações de qualquer espécie.
e) Criação e execução de novos projetos artístico-culturais.
Entendemos que o CAF não é uma instância apenas política e, portanto, deve abordar também projetos artístico-culturais. Colocado de outra forma, entendemos que projetos artístico-culturais são manifestações políticas. Assim, nossa chapa se compromete veementemente a propiciar o ambiente e as condições necessárias para que tais projetos se realizem.
Atenciosamente,
Chapa Tal

Obs: para mais informações ver o site da Chapa Tal