Sintusp mantém greve e Adusp indica nova paralisação

imagem de fflch

--- Segue reprodução literal dos informes do sindicato e da associação. As duas entidades recusaram a proposta dos reitores de correção salarial pelo indice FIPE (6,05%).

Deliberações da assembléia da adusp em 19/05:

1- Repúdio à proposta do Cruesp
A Assembl éia da Adusp repudia a proposta do Cruesp e indica manutenção da reivindicação original;

2- Paralisação dia 25/5, segunda-feira
Foi deliberada, por unanimidade, nova paralisação dia 25/5, data em que será realizada a próxima rodada de negociação salarial com o Cruesp, e ato em frente à Reitoria da USP;

3- Recurso ao Co sobre a mudança na carreira docente
Foi deliberado que a diretoria da Adusp estude implicações jurídicas de encaminhar, imediatamente, recurso ao Co ou mandado de segurança, independente da aprovação da ata da reunião onde foi decidida a mudança na carreira docente.

Próxima assembléia da Adusp dia 26/5, 17h, local a ser definido, precedida de assembléias setoriais no mesmo dia, contendo na pauta: avaliação da reunião de negociação e pertinência de greve, em função tanto do resultado dessa reunião quanto da reforma da carreira docente.

Fonte: http://www.adusp.org.br

Deliberações da assembléia do Sintusp:

Em uma das maiores ou talvez a maior assembleia já realizada desde o início da greve, que hoje completa 16 dias, foi analisada a primeira reunião de negociação com o Cruesp e a sua única proposta: 6,05%. A Assembleia, por unanimidade, aprovou a continuidade da greve.
Se a reitora Suely Vilela e os outros dois reitores acharam que com essa insignificância de reajuste algum funcionário da USP sairia da greve ou, que a mobilização dos outros setores diminuiria, ERROU! Foi exatamente o que o Sintusp previu e afirmou para os reitores: “vocês estão jogando lenha na fogueira.”
Manter a demissão de Brandão e os processos em curso contra outros diretores e militantes, além do próprio Sindicato; oferecer uma proposta de 6,05% diante da reivindicação de cumprimento do comunicado nº 3 de 2007 – 200,00 incorporados aos salários, mais os 17%, que agora com a inflação de abril declarada, passa a ser 16%; não discutir os pontos relativos à Permanência Estudantil e à Univesp; e impedir o diretor do Sindicato – eleito para negociação pela categoria, só poderia fazer com que crescesse ainda mais a greve, além de empurrá-la para a radicalização.

Ontem, 19/5, os professores da USP aprovaram em Assembleia a proposta do Fórum das Seis: PARALISAÇÃO E ATO 2ª feira dia 25/5 a partir das 13 horas, na reitoria da USP e, 3ª feira Assembleia para avaliar indicativo de greve.

Hoje, os estudantes da USP realizam Assembleia as 18 horas.
É importante dizer que a reitora após ouvir a leitura do comunicado nº 3, assinado por ela e por mais dois reitores, sobre os R$ 200,00, disse que isso eram “águas passadas” e ponto final. É que os R$ 200,00 não é importante no seu salário, mas apenas dos trabalhadores, em especial, dos que ganham menos.
Para nós, os R$ 200,00 não são “águas passadas”, a reintegração de Brandão e retirada dos processos são questões centrais.

Cronograma para hoje, dia da reunião de negociação da Pauta Específica:

1ª Hora: Reuniões de unidades
11 horas: Concentração na reitoria
13 horas: Início do Ato em acompanhamento à reunião de negociação
14h30: Reunião entre Sintusp e Reitora - PAUTA ESPECÍFICA

Fonte: http://www.sintusp.org.br