Balanço da Paralisação de 18/5

Conforme deliberado em Assembleia de Curso, as aulas foram paralisadas (parcial ou completamente) nesta segunda-feira e pretendemos estender as atividades para toda a semana. A ideia não foi fazer uma paralisação para acabar as aulas e ir "tomar sorvete" em casa, isto é, simplesmente cancelar as aulas, mas sim levar o debate (tanto dos estudantes, como dos professores e funcionários) para a sala de aula. Assim, mesmo tendo em vista a baixa mão de obra no dia (3 diretores do CAF e 3 colaboradores nos dois períodos) conseguimos paralisar completa ou parcialmente todas as disciplinas do período noturno (Introdução à Filosofia e Ética I, sendo que os professores de Teoria das Ciências Humanas I e Medieval I faltaram) e duas de três disciplinas do vespertino (Introdução à Filosofia e Moderna I, sendo que não houve gente suficiente para entrar na aula de Antiga I). O debate foi bastate profícuo na media em que fomentou a discussão entre os estudantes mais ausentes do CAF, mas ainda é apenas o começo de um longo debate.
Elencamos as principais questões abaixo:

- Paralisação dos Estudantes

a) Repressão
Problema da demissão de um líder sindical feita às escuras e sindicâncias contra estudantes que participaram da invasão da reitoria de 2007, além do fim de repasse de verba pela universidade às entidades estudantis.
b) Contingenciamento de verbas
Possibilidade de diminuição de verbas em decorrência da crise econômica global e problema interno da redistribuição de verba entre as unidades de ensino. Debate também sobre a relação entre a autonomia universitária e a percentagem de repasse do ICMS.
c) Univesp
Problemas do programa Univesp (e não do ensino à distância).
obs: participamos da aula pública do DCE na parte da noite.

- Paralisação dos Professores

a) Campanha Salarial
Os professores das universidades estaduais recebem, atualmente, um salário menor do que as universidades federais e, tendo em vista o crescimento de 30% de repasse às universidades nos últimos três anos, é necessário aumentar o salário, e, assim, elevar as condições de trabalho. Também se faz necessária a discussão de onde se retirar essa verba.
b) Reforma da Carreira Docente
Com a reforma do estatuto da USP houve um aumento do número de cargos na carreira docente e uma discussão sobre quem vai avaliar os professores na passagem de cargo se faz necessária urgentemente: será um órgão da reitoria que pode avaliar filósofo com pareceristas biólogos ou caberá a cada instituição de ensino fazer a sua avaliação?

- Greve dos Funcionários

a) Campanha salaria
Os funcionários pedem R$200 + 17% de correção de inflação e perdas históricas.
b) Contra a repressão e Readmissão do sindicalista demitido às escuras no final de 2008.
Trata-se de defender a liberdade política.