Quem pode dizer que não!

imagem de Euclides Stolf

Ora, quero ver quem vai falar que não é verdade que depois que os alunos fizeram uma cena bizarra de ato animal junto da PM, depois que decidiram entrar em greve, o assunto da greve não entrou na alto dos tópicos. Eu fiquei assustado quando cheguei na universidade, até os cachorrinhos pareciam que tinham algo a dizer.

Parece que é assim que as coisas vão, que nem na sala de aula, o professor tem que fazer palhaçada para que os alunos prestem atenção. Aqui também, na usp, os alunos tem que fazer esta palhaçada de GREVE para que as pessoas comecem a prestar a atenção.

Eu digo palhaçada porque eu não vejo sentido de os alunos entrarem em greve, afinal, se eles estivessem realmente unidos, era apenas necessário um falar com em uma assembléia o que eles querem que concerteza seriam atendidos. Ou vocês acham que não, que a reitoria nào ouviria todos os alunos da usp pedindo explicação sobre a univesp, pedindo informaóes.

Acho que o problema é mais embaixo, como sempre neste pais.

Comentários

imagem de Gestão

Concordo Euclides... Se o CAF

Concordo Euclides... Se o CAF fosse representativo a palavra 'piquete' não existiria em nosso dicionário, pois se os estudantes concordam com as decisões do CAF então eles as acatam (o que seria, de fato, reconhecê-la como legítima). Muitas vezes vejo colegas tentando convencer a outros colegas pela greve assim: "foi decisão de assembleia, portanto é legítima, e portanto você deve acatar". O curioso é que esses mesmos colegas sempre me encheram a paciência por ser legalista, e tem legalismo maior que esse? O argumento deveria ser: "se eu acato a decisão da assembleia, então ela é legítima, então é uma decisão de assembleia".... Mas, então, ou o CAF é não-representativo (e, portanto, não legítimo), ou, então, esses estudantes burgueses querem destruir o CAF para fortalecer a casta dos professores burocratas, e, portanto, da reitora burguesa, e, portanto, do governador autoritário!

Se não bastasse, o outro lado joga bombas na gente...

É, a realidade da nossa USP é triste...